Acessórios Essenciais

Toque final

  • Em couro preto ou laranja, cintos ornamentados com as iniciais “CD” oversized em metal dourado, referência sutil à bolsa 30 Montaigne, envolvem a cintura com elegância, exaltação da feminilidade. Um visual icônico e atemporal.

Bonés atemporais

Marcando os looks do desfile, uma inédita boina com aba, usada de formas diversas – em couro forrado de cetim duquesa –, elaborada por Stephen Jones, lembra com elegância a atitude cool e beatnik dos anos 1970. Como uma ode à emancipação, esse boné revisitado por um efeito alta-costura brinca com os códigos masculinos.

    Mix and Match

    Usadas com vestidos longos, as botas de combate D-Venture ousam a mistura de gêneros, enquanto as novas Teddy-D, usadas com meias arrastão, ficam perfeitas com calças. Com esse mix and match descontraído e elegante, Maria Grazia Chiuri desconstrói os estereótipos. As botas D-Furious – com solados em crepe ou revestidas em pele de carneiro –, as mules Dway em veludo, bordadas com a assinatura “Christian Dior”, e as botinas Chelsea também marcam presença nesse desfile, no qual sneakers brancos batizados de D.I.D. e ainda os slip-on ornamentados com o motivo Dior Oblique em veludo são revelados com exclusividade.

    Berloques irresistíveis

    • Inspirada em suas memórias, as joias imaginadas por Maria Grazia Chiuri se revelam como tesouros pessoais. Esses radiantes amuletos – fazendo referência aos que o estilista-fundador sempre carregava– são usados em colares longos, pulseiras e brincos Tribales e exibem preciosos talismãs: uma carpa koï, símbolo de sorte, um escaravelho para o renascimento, um coração para o amor e corais para a Itália. Irresistíveis amuletos da sorte para guardar perto de você, com infinitas combinações possíveis, para (re)afirmar a sua própria identidade

    O poder da maciez

    Nesta estação, o veludo marca presença nas bolsas emblemáticas da Maison, tais como a Saddle ornamentada com motivos Dior Oblique ou camuflado, e a Lady D-Lite, com Cannage tridimensional. Disponível em diferentes formatos, a bolsa 30 Montaigne surge em uma versão em pele de carneiro, evocando a maciez do inverno, enquanto a Dior Book Tote aparece toda em tela. Verdadeira peça indispensável, a Bobby vem ornamentada de franjas e se apresenta em uma variedade de novas cores.

    Afirmação de si mesma

    Os lenços foram livremente inspirados em fotos da família de Maria Grazia Chiuri, nas quais ela aparece com sua mãe. Ambas usavam esses lenços amarrados nos cabelos. Eles surgem em algodão estampado tie and dye, em seda ornamentada com o logotipo Dior Oblique ou em poás, referência a um arquivo de uma criação estival elaborada por Marc Bohan em 1974. Associando uma virtuosa inovação a um inestimável savoir-faire, eles combinam a estampa dupla face à emblemática assinatura “Christian Dior” em jacquard.